gay

Tem alguém que vive na memória do meu coração e não consigo apagar. Conheci este amor na oitava série. Hoje, 4 anos e alguns meses depois, ainda penso nesse garoto e no modo como poderíamos ter sido felizes juntos. Mas sei que talvez não seria tão bom assim se fosse naquele tempo. Eu era imaturo e ele também. Contudo não posso deixar de pensar que perdi a chance de conhecer a fundo minha alma gêmea.

Sei onde ele mora, onde estuda, quem são seus amigos, tenho o orkut dele e fico radiante quando recebo algum recado dele, rsrs.

homem lindo demais

Já me declarei para ele. Foi através de uma carta de duas páginas, escrita toda em caneta azul e com um coração com asas que eu desenhei no final como que numa tentativa frustrada de mostrar que ele me inspira. Deixei a carta debaixo da porta da casa dele e sai correndo, rs. A resposta veio por um depoimento no orkut onde ele dizia que me entendia, que estava feliz por eu ter falado o que eu sentia já algum tempo sem que ele soubesse e que infelizmente para mim ele já estava com alguém. Isso me deixou triste e feliz ao mesmo tempo, pois ainda não sei se ele é gay e o fato de ele não ter dito que estava com uma garota me entusiasmou. Esse alguém me deu esperanças assim como as arrancou de mim naquele momento.

O que eu sinto por ele agora é difícil dizer. Sempre que estou feliz, penso que poderia ser ainda mais com ele do meu lado. Hoje sou mais decidido do que quero da minha vida, visto que naquela época, tê-lo era minha prioridade máxima, rs. Estou na faculdade e tenho um emprego bom, mas sua falta ainda arde no meu peito ás vezes a ponto de sair algumas lágrimas que não deveriam.

O texto abaixo eu fiz para ele e talvez um dia o entregue.

beijo gay

Quisera eu e você

Hoje voltei a te amar.

Depois de alguns anos, muitos eu diria, sonhei com seu rosto entre as grades de uma janela, provavelmente de sua casa, a qual passei muitas vezes pela frente numa esperança de te amar. Vi seu sorriso, seu olhar e todo o resto se perdeu. Uma nuvem de magia encobriu o mundo e o tempo, nem mesmo sei dizer se eu existia, mas você estava em cada pulsar do meu coração que sentia forte a cavalgar no peito.
Por favor não entenda isso como uma obsessão. Jamais gostaria que um amor tão idealizado, a última das formas platônicas que conhecerei no universo, se transformasse em um fruto de psicoses. Afinal o que sinto não vem de idéias, pois sobre elas tenho controle, mas de minha alma que foge ás minhas rédeas e voa instantâneamente para perto de um rastro seu.
Alguém na rua, um cheiro, seu nome que percebo dentre os demais e um sorriso familiar que também me faz sorrir em uma felicidade plena com pura admiração. São lembranças de um tempo que não volta. Não sei fugir de algo que está nos recônditos do meu ser. Suspeito que inato pelo efeito de familiaridade que ocorre entre almas gêmeas.
Mas porque, raios e trovões, você não sorriu quando eu sorri pra você?! Sou eu? Que revolta se espalha pela minha calma habitual! É você? Nunca será você.
Espero que a vida, que hoje me parece tão louca e desvairada, para a duas pessoas unir com tal intensidade, possa reparar, em tempos que ainda não vieram, a bagunça que fez comigo em um dia claro de agosto, quando me mostrou o amor. Este do qual nenhum outro me encheu e completou tanto que tudo em mim transbordasse. Tudo depois disso me parece um misto de emoções que passam, visto que em um segundo nossos olhares se cruzaram e só.
São palavras de catarse para não me perder do que sobrou. Do que não existiu, mas que vivi.
Enfim, não desejo que se preocupe, eu mesmo já não me preocupo, você não manda em seu coração assim como eu não mando no meu. Apenas necessitava desabafar, pois hoje sonhei com você e tudo voltou a fazer sentido, ou melhor, sentido algum.
Um abraço.
Até o dia em que eu contigo sonhar ou quem sabe a louca vida nossos caminhos cruzar.
P.S.: Opto pela segunda alternativa. Já sonho demais.
Anúncios